A Marca


Na realidade não a percebemos logo no princípio, leva um tempo até entendermos o que ela realmente irá significar em nossas vidas, no início não percebemos que não foi só nosso filho ou filha que faleceu e com o passar do tempo entendemos que morre junto com eles a visão que cada pessoa tinha a nosso respeito, com o passar do tempo vimos que todo o mundo mudou naquele dia...percebemos que fomos marcadas e que ela é algo que parece ser contagioso, percebi que cada mãe que me olha pensa tomara que meu bebe viva, ontem mesmo eu estava conversando com uma tia de meu marido cujo a nora vai ter um bebê, quando perguntei a ela quando seria a data do parto ela disse “Vai ser em janeiro” disse como se dissesse “
tomara que não aconteça com meu neto o que aconteceu com a Helena” lembro que no momento ficou um clima um pouco estranho quase constrangedor, não fiquei com raiva porque acredito que eu teria o mesmo medo se a história fosse invertida. A verdade é que nós mães de anjo levamos uma marca, a marca da mãe órfã, toda mulher grávida que souber sua história e ver você vai pensar tomara que meu filho não morra...digo isso porque hoje fui ao meu primeiro aniversário depois do que aconteceu, o aniversário de meu sobrinho, lá estavam somente crianças grandes maiores que oito anos, então achei não ter problema, confesso que desde ontem senti que não estava bem, mas não queria deixar meu marido triste afinal ele estava junto de sua família. Aguentei até hoje sem dizer a ele o que estava sentindo, fomos até a festinha e fiquei mais ou menos uma 2 horas olhando as crianças a correr e brincar no pula pula quando comecei a lembrar que daqui a 3 meses (você sabe o que são somente 3 meses?) minha pequena estaria comemorando seu primeiro aniversário, comecei a olhar aquelas crianças felizes e pensando que eu tenho que simplesmente ficar imaginado minha pequeninha a brincar, que NUNCA em vida vou ver ela com aquele olhar de felicidade, lembrei que daqui uns dias irei estar arrumando o TUMULO dela para o dia de finados...nesse momento comecei a conversar com uma amiga que está grávida de seis meses, ela fez parte da nossa história quando eu estava grávida, eu e ela estávamos tendo uma conversa normal, até que sem perceber toquei no nome da Helena e vi a tristeza nos olhos dela, olhei para ela e disse “hoje não é dia de falar disso”, quando comecei a ver que o “isso” que causava tanta tristeza nela era meu amor...percebi que não posso mais falar da Helena que faz mal as pessoas, não faço por maldade não nem para ver ninguém sofrer, falo da Helena como qualquer outra mãe falaria de seu filho...mas infelizmente não sou qualquer mãe, sou uma mãe com a marca...a marca da Mãe Órfã...as vezes parece que as outras mãe tem medo de pegar essa tão horrível doença e assim se escondem para fugir de nossa presença...simbolizamos o medo...o medo da morte do bem mais precioso: Um filho...lembramos a todos o quanto nossa vida é insignificante e fraca, que com um simples sopro é perdida...lembramos com nossa presença a verdade da vida...que tudo acaba um dia não importa quão bonito seja, um dia acabará...levamos conosco a marca da infeliz realidade que cerca a vida de todos: A morte... nossa presença lembra a cada mãe que ela pode bater na sua porta, lembramos a todos que a vida é cercada de incertezas e que ela pode acabar...em meio a festa pensei em tudo isso e fiquei por dois minutos em silencio pensando na festa que eu e minha mana (mãe do Lorenzo) tínhamos pensado em fazer, a festa de um aninho iriamos fazer juntas, o Lorenzo do Peter Pan e a Helena da Sininho, nesse momento não contive as lágrimas sabendo que NUNCA em vida poderei fazer uma festa se quer para minha pequeninha, nesse momento me desesperei em um choro que não contive...agora 2 horas depois estou a escrever para vocês, saberem o que se passou em meu coração...hoje sei que esta marca jamais poderá ser apagada e que vou carrega-la enquanto eu viver.






5 comentários:

  1. Oi amiga...não contive as lagrimas ao ler...
    Faço das suas palavras as minhas...viver marca não a fácil olhar de outros nós machuca.
    Muitas força minha linda...e q deus conforte seu coração. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijos Katia a você e principalmente para o seu feijãozinho (é como meu marido chama o bebe ainda na barriga quando é bem novinho)o seu já é quase um feijão grande... que Deus abençoe vocês, beijos

      Excluir
  2. que deus ilumine sempre a vida de vcs...nao é facil perder algo tao especial e essencial na vida da gente....mas deus tem infinita bondade....era pra eu ter uma irma de 20 hj...mas por um erro medico veio a falecer ao nascer...sei como minha ficou..e tudo que passou..é uma marca que nunca sera esquecida....tenham força e fé sempre...bjss....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus sentimentos a sua mãe, e muita luz para sua irmã, e a você um grande abraço em retribuição ao carinho, que Deus lhe de muitas bençãos

      Excluir
  3. Sei exatamente tudo isso que vc escreveu la em cima...Estava procurando umas coisas na net sobre filhos e me deparei com seu blog...A carta de Deus é muito linda, perdi minha bebê ha 2 meses com apenas 4 dias de vida. Bjos e que Deus nos conforte.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...