Para a Estrelinha mais Brilhante...


Lembram que eu tinha falado a vocês que iria pedir para cada pessoa da minha família falar um pouquinho do que lembrava da Helena, ou fazer uma homenagem a ela, enfim deixei o espaço aberto para meus familiares escreverem o que quisessem, o que sentissem, para que vocês pudessem conhecer um pouquinho mais da Helena. A primeira a me entregar o que escreveu foi minha irmã Adriana, mãe do anjinho  Daiane, que um dia se ela permitir contarei a guerreira que foi em vida, essa é a irmã que infelizmente tenho uma coisa em comum, nosso maiores amores se encontram juntas, no cemitério João 23 , no mesmo local passamos a dor da despedida de nossa princesinhas, a Daia e a Helena, e hoje acredito que elas estão juntas, e com a tia Rô (minha mana mais velha que faleceu em um acidente de carro) que um dia conto a vocês...Você deve estar se perguntando qual o carma da nossa família para passar por tanta coisa,pode ter certeza que eu mesma me pergunto a mesma coisa, mas só posso lhe responder o que tento acreditar todos os dias de minha vida, que Deus sabe de todas as coisas e temos que aceitar seus propósitos...
A baixo está a carta que foi endereçada para a estrelinha mais brilhante do céu, é muito intima e amorosa, da Tia Adri para minha...









9 comentários:

  1. Oi Flor...Nossa, me senti muito tocada ao que sua irmã escreveu. Como ela amou sua filha..como ela a quis bem e deve sentir a falta da sua filha assim como a dela...Flor sua família é especial pra Deus, muito especial. Q Deus abençoe vcs e lhe de Sua paz a cada coração de seus familiares.
    Sua filha e a Daya é a luz de Deus na sua familia!

    Bjinhos com asas,
    Ely

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentários sempre me deixam muito feliz, mas esse em especial está lindo, senti um coisa tão boa de ler, obrigada pelo seu carinho e pela sua visita sempre, beijoss

      Excluir
  2. Oi,flor...Fiquei muito emocionada,não tenho nem palavras para me expressar.Lí seu comentário no meu blog e vim conhecer um pouquinho da sua história.Vou fazer,com muito carinho uma bonequinha pra vc.Bjs e fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bom que veio visitar e conhecer a história da Helena, muito obrigada pela força sempre, quero fazer um muralzinho de blogs que me apoiaram com os linke-me, pego o seu em breve, muito obrigada pelo carinho, beijos

      Excluir
  3. Oi,sou eu de novo...Dá uma olhadinha lá no meu blog de fofuchas e vê a bebezinha que eu fiz,se vc gostar é sua.Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Óla, procurei e não encontrei mas hoje vou olhar de novo, beijos e uma ótiam semana, OBRIGADA de coração

      Excluir
  4. Amiga visite meu blog tem um selinho lá para você. Amo o seu blog a cada post me emociono muito... bjs <3

    http://eloahanjodeluz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Gislaine, obrigada pelo seu carinho, vou lá sim, quero criar um espaço para blogs que me ajudaram na divulgação e outro para blog de mamães de anjo, te aviso, beijos e muito obrigada pelo carinho

      Excluir
  5. Olá querida é com lagrimas nos olhos que termino de ler sua história, eu sou mãe de um quarteto fantastico, e sou técnica de enfermagem de um hospital particular de grande porte aqui em São Paulo, e confesso que sei bem o que é esta sensação de incompetência que nos enche ao nos ver diante da saúde pblica no Brasil, hoje eu sou uma técnica de enfermagem intensivista porém somente cuido de adultos, e confesso a você que precisei fazer esta opção de não cuidar de crianças depois de passar por 2 experiencias muito tristes onde perdi pacientinhos de 3 e 7 anos, na época a idade de 2 dos meus filhos, mesmos dentro de um hospital de grande porte e com todo recurso disponivéis existem momentos em que nada podemos fazer, e por 2 vezes me senti a pior pessoa do mundo, voltar pra casa e poder abraçar meus filhos depois de ver tanto sofrimento no rosto de uma mãe e um pai, me fazia muito mal, não era justo, me questionava e questionava Deus, porque todo o conhecimento e toda tecnologia empregada, e mesmo assim não adianta.! Pronto estava decidido só iria trabalhar com adultos, talvez isto estivesse acontecendo por eu ser mãe e ter perdidos os pacientes na idade dos meus, pronto problema resolvido, não não estava resolvido, alguns anos depois de somente cuidar de adultos, me deparei com uma horrivel situação, minha avó tão querida e amada por mim, adoeceu e como não tinhamos como coloca la em um hospital particular ela foi ao SUS, como me doía aquela situação, eu tinha de ir ve- la por 30 minutos em um hospital onde não havia recursos, e deixa la, entregue a outras pessoas, sair de la e ir trabalhar em um hospital, cuidando de avôs e avós de muitas outras pessoas, e a minha??? onde estava? como estava?, por fim minha avò faleceu numa madrugada em que eu estava de plantão e eu não pude estar lá cuidando de quem eu tanto amava, doía muito, essa sensação de incompetencia, porque eu tinha estudado tanto?, do que adiantava eu saber o que minha avó precisava se eu não tinha como colocar aquilo a sua disposição, minha avó foi mais uma vitima do sistema unico de saúde, não foi possível, suportar, e eu descobri que idependente do grupo de pacientes que eu possa atender, a dor da incompetencia, do desprezo e do pouco caso publico sempre ira me rondar. O que nos resta é tentar fazer a diferença, para isso conte comigo, adorei seu blog e sua iniciativa, parabéns !!
    Sempre que precisar sinta se a vontade e use também o espaço do http://ideiasdaangela.blogspot.com.br/, é um bebe ainda mas já esta a sua diposição

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...