O Parto



Bom dia...Hoje vindo com meu marido para onde ele está trabalhando me dei conta que nunca contei a vocês o que senti na hora do parto, não se preocupem não vai ser traumático eu prometo. 

Meu amorzinho estava na minha barriga já faziam 40 semanas e parece que ela não queria vir conhecer esse mundo, não sei se porque achou tão confortável dentro de minha barriga ou por medo de um mundo com tantas coisas ruins, é claro que eu já não me aguentava mais de curiosidade para saber que carinha minha pequena teria fazia muito tempo, mas eu já estava muito mais que preocupada  Esperei tanto porque li em um livro que ganhei (Postarei um dia juntamente com o diário que veio nele) que a cesária é uma intervenção cirúrgica e é em vezes traumática para o bebê, então optei pelo modo natural da vida, o parto normal. Eu e minha irmã mais nova (mãe do Lorenzo) estávamos em uma corrida para saber quem iria ganhar primeiro, o Lorenzo nasceu 14 dias antes da Helena, quando ele nasceu eu comecei a ficar nervosa, duas semanas se passaram e na consulta de rotina fui mandada para o hospital para fazer o MAP, que nada
mais é que o mapeamento dos batimentos cardíacos do bebê para saber se ele está em angustia para nascer, fui três dias tudo corria bem, mas cada noite que eu chegava em casa e ia para a cama, olhava aquele barrigão e olhava para o berço (montado uns 10 dias antes) e pensava: "se Deus quiser essa noite a Helena estoura a bolsa" , quando abria os olhos de manhã e olhava a minha barriga do mesmo tamanho e a cama seca, me dava um desespero, lembro que no último dia que fiz o mapeamento conversei com a Helena para tranquiliza-la, cantei para ela, esses mapeamentos duram em torno de uma hora e não queria que ela sentisse o medo que eu sentia. Duas noites antes dela nascer, eu e meu marido na cama a noite, conversamos com ela convidando para conhecer o mundo, dizendo para ela chutar com força para arrebentar a bolsa, e ela em resposta se virava toda e dava muitos chutes, mas não conseguiu rebentar minha bolsa. No outro dia pela manha acordei e quando fui ao banheiro olhei e na minha calcinha tira a clara de ovo (dizem ser a tampão do útero), fiquei muito mas muito feliz que eu e ela iriamos finalmente se conhecer, fomos para o hospital, quando chegamos a obstetra me examinou e disse que o que saiu foi só um pouquinho que tudo continuava inteiro e que teríamos que induzir o parto (não entendo bem, mas pelo que ouço falar os médicos tentam até o último minuto que o bebe nasça por parto normal) me parece que colocam comprimidos para abrir a entrada do útero, dizem que as mamães e os bebês sofrem e não é sempre que dá para nascer normal, então sendo assim optamos pela cesária. Marcamos para o outro dia as 10 horas da manhã, foi a primeira noite que dormi bem em muito tempo, com a tranquilidade que a conheceria no outro dia, não sei porque sempre tive medo que ela morresse dentro de minha barriga, antes de dormir verifiquei as duas malas de maternidade, a minha e a dela, tudo ok (já estavam arrumadas desde o sétimo mês, fiz uma lista e fui riscando o que já estava pronto). Pela manhã levantamos e fomos para o hospital eu e meu marido, chegando lá fui  para a maternidade enquanto meu marido foi arrumar os papéis de baixa e outras coisas, enquanto isso eu fiz mais um mapeamento e começaram os preparativos da cesária, (não sei como naquele dia eu não tinha medo nenhum dentro de mim, hoje tenho medo de passar mertiolate em um dedo cortado), pressão medida, sonda colocada, fomos em uma maca e dar um passeio pelo hospital, ele estava em reforma então tínhamos que ir para o bloco cirúrgico pelos elevadores de visita, meu marido esperava ansioso do lado de fora, foi muito engraçado o sentimento de passear pelo hospital deitada em uma maca somente com um lençol em cima, quando chegamos na sala de cirurgia, todos os médicos já estavam prontos, anestesista, pediatra, obstetra, fizeram a anestesia (nas vértebras da coluna, mas não doeu NADA) e então começou o parto, eu estava dominando tanto meus sentimentos que estava meio fora de mim, minha pressão baixou muito e fiz muita força para ficar acordada, como foi colocado um pano para mim não ver a cirurgia (em todas as cirurgias é assim é claro) eu não sentia nada então não sabia quando ela teria nascido, fiquei bem quietinha esperando escutar o chorinho dela, quando a médica viu a Helena ainda dentro de minha barriga vocês não vão acreditar no que ela falou, o silencio da sala de cirurgia foi quebrado pelo choro da Helena e pela voz da médica dizendo: "Você vai morrer de decepção quando ver sua filha", e eu muito nervosa: " porque", e ela com muito carinho disse: "você carregou esses nove meses na barriga e ela é a cara do teu marido", quando a enfermeira trouxe a Helena para perto do meu rosto, eu não acreditava que tudo tinha acabado, que ela estava ali na minha frente, eu não sabia bem o que fazer, os sentimentos se misturavam entre alegria, amor mas principalmente alívio de a ver fora da minha barriga, viva, como falei eu estava meio fora de mim e estava muito tonta por causa da pressão baixa, quando olhei a Helena ela era muito muito enrugada  "carinha de joelho" mesmo como muita gente diz, e chorava muito, quando vi ela pela primeira vez  pensei "filha como você é enrugada  todo mundo vai te achar feia" olha a preocupação (besta), quando a enfermeira trouxe ela perto de mim, ela parou de chorar na hora, dei um bejinho da testa dela e então o pediatra pediu permissão e a levou para limparem e colocar a roupinha nela, e levarem ela para o meu marido conhecer (ele não quis ficar na hora do parto) naquele momento eu só pensava em quando eu poderia ficar com ela, olhei para a médica, a doutora Stella é uma médica muito profissional, mas direta, do tipo durona sabe, mas nessa hora ela chegou e pegou na minha testa e disse "parabéns menina", e foi fechando o corte sem que eu sentisse absolutamente nada. Quanto a meu parto não tenho o reclamar foi muito bom (para um parto é claro) Esses dias foram de muita luz e felicidade para mim, se olharem os vídeos verão, a equipe médica (mesmo hospital onde ela faleceu só que área particular) foi muito profissional (meus agradecimentos a eles).Vou fazer outra postagem contando o pós cirúrgico e a recuperação da minha cesária, quero contar em detalhes o que pensei quando a peguei e a amamentei pela primeira vez, mas posso antecipar que DOR não senti em nenhum momento, até hoje e para mim relembrar esse momento fez meu dia ficar muito melhor...


Meu benzinho e eu, nos admirando, momento inesquecível



2 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...