O princípio

"Não há como deixar de sofre porque não como deixar de amar"
                                                                        Padre Fabio de Melo


Queria contar para quem ainda não sabe o que houve com nossa linda Helena...queria que você por um instante se colocasse no nosso lugar, que olhasse pro seu filho e imaginasse nossa realidade... Eu e minha mulher estamos juntos a mais ou menos quinze anos, ficamos planejando ter nossa menina por muito tempo , nos programamos, deixei de minha profissão para poder dar a elas o conforto de um lar.Minha esposa e eu escolhemos tudo a dedo, desde roupinhas até a chupeta que ela iria usar, nove meses
preparando a chegada dela, fizemos filmagens desde o quarto mês de gestação, o primeiro abraço, o primeiro banho, até a saída do hospital, afinal quando ela tivesse adulta iria adorar ver o quanto ela foi esperada o quanto foi amada desde que descobrimos que ela viria, até diário de gravidez minha esposa fez, com os primeiros chutinhos e outras coisas...tudo ia muito bem até o primeiro exame com o pediatra que detectou um sopro em seu coração, nos encaminhando para uma cardiologista. Depois de todos os exames feitos, remédio pronto fomos para a nossa casa, tudo normal, até na ultima tarde que ela estava conosco ficamos no sitio onde os avós maternos trabalham, foi a primeira e única vez que ela saiu a passeio em seu carrinho...na parte da noite ela mamou muito pouco e dormiu quase a noite toda, não estranhamos na hora, mas pela manhã quando acordamos ela ainda estava dormindo, ou pelo menos parecia, quando olhamos pra ela, ela estava sem cor e gelada...só gemendo, na hora não achamos que fosse tão sério, tanto que eu mesmo fui dirigindo até o hospital,se eu imaginasse o que estava por vir... chamamos os sogros e fomos direto para Gravataí, chegando la, esperamos na emergência por uns instantes, agora imagine você olhando pro seu filho recém nascido quase sem forças, gelado sem cor, como morto...até sempre comentamos que o dia em que vimos nossa pequena no caixão ela estava mais corada que quando baixou no hospital, esperamos por uns dez minutos sei la, quando acontece uma coisa dessas perdemos a noção do tempo,os minutos parecem eternos, quando finalmente a levaram para a pediatria parecia que tudo estava se resolvendo, o dia foi passando e agente simplesmente olhando ela se definhar em cima de cama de hospital, minha menininha olhava pra mim como quem diz: "pai me tira daqui" cheia de aparelhos...e eu ali simplesmente olhando sem dizer nada, sem ter nenhuma reação que pudesse amenizar a dor dela, você consegue ter noção do que é isso???do quanto você se acha um inseto sem valor, o quanto doí saber que você não conseguiu proteger sua própria filha, que não depende de você a quantia que quer salvar alguém, agente fica tão anestesiado senão acredito que não aguentaríamos, e passou-se a tarde e a única frase que escutávamos:"não há leito no estado"e eu e minha esposa olhando pros olhinhos dela sem brilho já...sem forças de aguentar mais a espera, e ter que se conformar que saúde no estado, no pais é assim mesmo, no fim da tarde vimos uma agitação dos enfermeiros e médicos e pediram que nos retirassem, foi a ultima vez que vi ela com o coração batendo, saímos da sala e angustia era horrenda, ficamos no corredor, lembro que perguntei a uma enfermeira e ela disse que não sabia me responder como estava minha bebê, ficamos com medo mas parecia que ainda escutávamos os aparelhos dela funcionado, quando passou a segunda enfermeira e perguntamos como a Helena estava ela nos respondeu:"o medico vai vir falar com vocês"...no momento tu não quer acreditar, achamos que ela tinha entrado em coma, quando o pediatra saiu e nos olhou disse:"nós não conseguimos"...não era real só o que a dizer...tu pensa Deus não ia fazer isso...quando chegamos para vê-la ela estava quentinha ainda pobrezinha, chegamos a nina-la.....´surreal...................fomos para a funerária fizemos tudo e fomos pra capela esperar o corpo....quando abriram o cachãozinho...........ela aprecia uma boneca na caixa...é uma sena que pai nunca mais ira esquecer, o primeiro macacão dela também foi o que a acompanhou...e eu ali olhando minha esposa debruçada sobre o caixão dela e seus seis cheios de leite molhando a blusa...e eu sabendo que não pude fazer nada...nossa vida acabou ali, tudo o que tínhamos de bom foi com ela é uma dor que agente perde o tino da realidade e não sei se um dia consegue recuperar...nunca vamos recupera-la, não importa o que façamos ela nunca mais ira voltar, mas podemos ajudar outras bebes a não passar pelo que ela passou e ajudar a outros pais que ainda não sabem que seu bebes irão precisar de leito de uti...assim honramos a memória dela, assim sua morte não terá sido nula...






7 comentários:

  1. Me dói muito ler isso... fico com raiva de quanta coisa podia ter sido evitada se esse hospital fosse bem mais equipado... vcs são aqui do sul certo? Se for conheço esse hospital, já fiz um procedimento lá e realmente as condições são precárias!

    Teu anjo lindo veio pra te dar amor, não tem palavras que confortem uma mãe numa hora dessas, mas receba meu abraço, meu carinho e que Deus conforte vc e sua familia!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sempre muito obrigada DE CORAÇÃO Cacau pela sua solidariedade, é tudo muito triste principalmente o fato de não podermos voltar,seu carinho é muito importante, recebi seu abraço com muito carinhos, obrigada pela sua amizade, beijoss

      Excluir
  2. eu sei como ruin q vcs estão passando pois ja passei por algo assim tbm ms lhes digo nao desanimem pois Deus esta com vcs e essa dor sei q nunk ira passar mas com tempo ira amenizar tenham fé e lembrem-se ela é um anjo q está lá em cima cuidando e protegendo vcs..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Andressa e que Deus continue te dando essa fé linda, temos tentando a cada dia, nos levantar, e vamos seguindo graças a pessoas como você que vem aqui demostrar sua solidariedade, que Deus abençoe sempre você e sua família, beijokas.

      Excluir
  3. É a primeira vez que venho a esse blog hoje! Não tenho nem palavras para dizer sobre o que estou sentindo ou pelo menos que seja carinhoso para vcs, porque não existe nada que eu vá conseguir falar depois de tudo que li! =( Só tenho a dizer que vcs são pais maravilhosos que mesmo com a dor se preocupam com outros filhos, porque se colocam no lugar de outros pais! Eu estou aqui lendo hoje e me colocando no lugar de vcs! É tudo muito triste! Mas Deus, só Deus é capaz de enviar a força necessária para suportar essa perda! Eu desejo do fundo do meu coração uma nova luz no coração de vcs! Desejo paz! Amor!

    Estou seguindo vcs!

    Abraços
    Adriana
    www.minhamaricotamaricotinha.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriana, muito obrigada pela visita, é tudo muito triste sim, a força que precisamos encontramos em muitas coisas, no nosso amor a ela, na fé e também no carinho de muitas pessoas como você que vem aqui e tem o carinho especial de gastar cinco minutos de seu tempo para escrever palavras de consolo para pessoas que nem conhecem, a você agradeço pelo carinho e peço que Deus envie a você e sua família tudo o que há de bom, um grande beijo no coração e um ótimo ano.

      Excluir
    2. Acabei de ler essa postagem e não tem como não se emocionar... passei por uma situação parecida, porém perdi duas filhas em um ano e dois meses, sendo uma foi natimorto de sete meses e meio que era um casal de gêmeos e a outra de doze anos com dengue clássica que evoluiu pra hemorrágica por negligência médica e também por demora de transferência para um leito de UTI que acasionou a sua perda por infecção generalizada e hemorragia pulmonar. Amanhã completa um ano dessa tragédia e a dor juntamente com a saudade só aumenta... tenho dois meninos o que era gemelar que sobreviveu e um de onze anos, eles quem me dão forças para seguir, mas ainda sim é muito difícil.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...