Nossa Senhora de Guadalupe

Hoje, os Caminhos de Maria nos guiaram até  Nossa Senhora de Guadalupe:


Um sábado de 1531 a princípios de dezembro, um índio chamado Quauhtlatoatzin — que havia sido batizado com o nome de Juan Diego —  ia de madrugada do povoado em que residia à cidade do México a assistir a suas aulas de catecismo e para ouvir a Santa Missa.
Ao chegar junto à colina chamada Tepeyac amanhecia,  ele escutou uma voz que o chamava por seu nome.
Subiu ao cume e viu uma Senhora de beleza indescritível, cujo vestido era brilhante como o sol, a qual com palavras muito amáveis e atentas lhe disse: 
- Juanito: o menor de meus filhos! Sou a sempre Virgem Maria, Mãe do verdadeiro Deus, por quem se vive. Desejo vivamente que me construa aqui um templo, para nele mostrar e prodigalizar todo meu amor, compaixão, auxílio e defesa a todos os moradores desta terra e a todos os que me invoquem e em Mim confiem. Vá ao Senhor Bispo e lhe diga que desejo um templo neste plano. Anda e ponha nisso todo seu esforço".
Juan retornou a seu povado e se encontrou com o bispo. Juan Diego então transmitiu o pedido, e o bispo exigiu alguma prova de que efetivamente a Virgem aparecera. Então cabisbaixo e pensando como faria para provar que não havia inventado a história, nem percebeu que estava novamente me frente à colina e de novo viu a Virgem Maria e lhe explicou o ocorrido. 
A Virgem lhe pediu que ao dia seguinte fora novamente falar com o bispo e lhe repetisse a mensagem. Mas o bispo, logo depois de ouvir Juan Diego, repetiu oque já lhe havia dito: disse que falasse a Nossa Senhora  que lhe desse algum sinal que provasse que era a Mãe de Deus e que era sua vontade que lhe construíra um templo.
Novamente preocupado, Juan Diego rezava para reencontrar a Virgem Maria e ao chegar na colina, a viu. Então Juan lhe narrou os fatos e a  Virgem lhe mandou que voltasse para dia seguinte ao mesmo lugar, pois ali lhe daria o sinal. No dia seguinte Juan não pôde voltar para colina, pois seu tio Juan Bernardino estava muito doente. A madrugada de 12 de dezembro Juan Diego partiu a toda pressa para conseguir um sacerdote a seu tio, pois se estava morrendo e chegando ao lugar por onde devia encontrar-se com a Senhora preferiu tomar outro caminho para evitá-la. 
De repente Maria saiu a seu encontro e lhe perguntou aonde ia. O índio envergonhado lhe explicou o que ocorria, a Virgem disse a Juan que não se preocupasse, que seu tio não morreria e que já estava são. Então o índio lhe pediu o sinal que devia levar a bispo.
Ao chegar no cume da colina Juan viu flores na colina semi-desértica, Nossa Senhora fez crescerem rosas de Castela frescas em pleno inverno, as quais ele devia levar ao bispo. Juan o fez, cortando quantas pôde acondicionando-as no seu manto , conhecido no México como tilma, e é feito de tecido grosseiro, e as levou a bispo.
Uma vez diante de Dom Zumárraga, e de várias outras pessoas, Juan Diego desdobrou seu poncho, as rosas caíram ao chão e todos verificaram admirados que a imagem de Nossa Senhora estava estampada no manto. 
Imagem de coleção particular

Vendo isto, o bispo levou a imagem Santa à Igreja Maior e edificou uma ermida no lugar onde a Virgem Maria tinha aparecido para o índio.
Pio X a proclamou como "Padroeira de toda a América Latina", Pio XI de todas as "Américas", Pio XII a chamou "Imperatriz das Américas" e João XXIII "A Missionária Celeste do Novo Mundo" e "a Mãe das Américas".
A imagem da Virgem de Guadalupe se venera no México com maior devoção, e os milagres obtidos pelos que rezam à Virgem de Guadalupe são extraordinários.

 Os olhos da imagem:

Talvez o que mais intriga os cientistas sobre o manto de Nossa Senhora de Guadalupe são os olhos dela. Com efeito, desde que em 1929 o fotógrafo Alfonso Marcué Gonzalez descobriu uma figura minúscula no olho direito, não cessam de aparecer as surpresas. Devemos primeiro ter em vista que os olhos da imagem são muito pequenos, e as pupilas deles, naturalmente ainda menores. Nessa superfície de apenas 8 milímetros de diâmetro aparecem nada menos de 13 figuras! O cientista José Aste Tonsmann, engenheiro de sistemas da Universidade de Cornell e especialista da IBM no processamento digital de imagens, dá três motivos pelos quais essas imagens não podem ser obra humana:
• Primeiro, porque elas não são visíveis para o olho humano, salvo a figura maior, de um espanhol. Ninguém poderia pintar silhuetas tão pequenas;
• Em segundo lugar, não se consegue averiguar quais materiais foram utilizados para formar as figuras. Toda a imagem da Virgem não está pintada, e ninguém sabe como foi estampada no manto de Juan Diego;
• Em terceiro lugar, as treze figuras se repetem nos dois olhos. E o tamanho de cada uma delas depende da distância do personagem em relação ao olho esquerdo ou direito da Virgem.
Esse engenheiro ficou seriamente comovido ao descobrir que, assim como os olhos da Virgem refletem as pessoas diante dela, os olhos de uma das figuras refletidas, a do bispo Zumárraga, refletem por sua vez a figura do índio Juan Diego abrindo sua tilma e mostrando a imagem da Virgem. Qual o tamanho desta imagem? Um quarto de mícron, ou seja, um milímetro dividido em quatro milhões de vezes. Quem poderia pintar uma figura de tamanho tão microscópico? Mais ainda, no século XVI...


2 comentários:

  1. Confio demais da Nossa Senhora da Guadalupe, lindo post, que ela nos ilumine e acalente seu coração.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, beijokas e uma semana abençoada para você e sua família

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...