Vamos Celebrar a vida?





Eu...eu vivo somente de lembranças...lembranças de um tempo que não vai voltar...um tempo em que eu tinha minha Helena, assim contamino todos e os forço a viver a 10 meses atrás...sim a dez meses atrás, na manhã desse mesmo dia a dez meses atrás, seria o último amanhecer que eu veria minha Helena com vida, a dez meses atrás foi a última noite que tive o prazer de dormir com ela, a essa hora -09:03- nós já estávamos olhando ela a espera de um leito, a dez meses atrás nessas horas que se passaram em um dia que nunca desejo a nenhuma mãe passar, passamos por elas vendo a vida da Helena se esvair...e eu vivo lá...a dez meses atrás...e a cada dia 17 minha família toda lembra do pior dia que tive, no mês passado em conversa com minha irmã Alessandra que amo muito, mamãe do Lorenzo, o meu sobrinho que nasceu quase junto com a Helena, no dia 17 de cada mês ele completa mais um mesinho, e então
no mês passado minha irmã disse a mim no telefone “porque agente não celebra a vida, celebramos todos os dias 17 somente a morte da Helena e esquecemos que nesse mesmo dia meu filho celebra mais um mês de vida” foi então que percebi que a distancia onde ela mora e o fato de eu estar mais perto de meus pais, fazem com que eles fiquem de alguma forma aprisionados comigo nesse sentimento todo dia 17...quando digo aqui que a morte da Helena foi um teste para o amor que eu e minha sentimos uma pela outra, agora com o tempo as dificuldades estão aumentando, ela não fala do Lorenzo e eu não falo da Helena...então hoje venho até vocês para contar um pouquinho sobre minha irmã Ale e sobre o meu amorzinho Lorenzo...



Tenho 5 irmãs mas tenho um carinho especial pela Ale, minha mana mais nova e a que passamos por mais coisas juntas, aprendi muito com ela, foi uma menina forte que não chega aos pés da mulher que ela se tornou, uma esposa e dona de casa exemplar, faz faculdade, passou em um concurso público, mantem uma vida que muitas pessoas queriam mas que não tem a fibra que ela tem para conquistar. Engravidamos juntos por uma obra de Deus mesmo, quando ela chegou aqui onde moro, ela veio quase ganhando o Lorenzo e eu quase ganhando a Helena, era uma competição de quem iria conhecer o mundo primeiro, minha Helena ou o Lorenzo...os dias foram passando e finalmente o Lorenzo resolveu conhecer o mundo...ela e o maridão Ale (isso mesmo os dois tem o mesmo nome) foram para o Hospital, e nós não ficamos sabendo do que acontecia lá dentro como foi combinado previamente, eu e ela combinamos que não iriamos contar como era o parto só depois que as duas tivessem ganhado os bebês, sendo assim fui ver eles somente no horário de visita, quando cheguei no quarto e vi a Ale com o Lorenzo no peito, caiu uma realidade (do tipo “ela cresceu” )como um tijolo na minha cabeça, olhei aquela coisinha branquinha de cabelos negros, estava somente de fraldinhas e de pagãozinho (como chamamos aqui) é tipo de um coletesinho de um tecido bem leve, fui para pegar ele toda medrosa, cheirei bem ele e sai, até lembro que só tinham 30 min de visita e eu fiquei ali, tomei conta de todo o tempo e os vozinhos puderam dar somente um cheirinho nele. Chegando em casa eu pegava ele no colo admirada e ficava pensando e se eu amar mais ele que a Helena, tudo o que eu sentia por ele era tão grande que parecia que não cabia mais nada dentro de mim, eu sentia uma vontade de ficar com ele, e quando eu estava com ele no colo, lembro que minha Helena mexia dentro da barriga como quem queria falar com primo, e eu cantava para ele “ah se eu te pego ah ah” com uma voz de pato Donald tão chata que não sei como ele ainda gostava de mim, eles foram embora no dia seguinte ao nascimento da Helena, ainda bem que a Ale pode pegar ela no colo uma vez, ainda no hospital, eu e minha irmã fizemos tantos planos para fazermos os aniversários deles juntos, seria da sininho e do Peter pan. Amo eles tanto como sempre amei, não é por maldade ou egoismo que não celebro a vida do meu sobrinho nesse dia, é que a dor e a escuridão que fazem parte de mim agora me fazem lembrar somente do dia em que eu olhava para ela no hospital, ainda bem que as lembranças reais daquele dia foram todas apagadas de minha cabeça, infelizmente as boas também se foram...Ontem minha irmã querida ligou para nossos pais para contar que o Lorenzo caminhou sozinho pela primeira vez, fiquei tão feliz mas infelizmente todos os meus sentimentos foram bloqueados é como se eu vivesse com somente um pedaço de mim, uma casca que está envolta por uma dor, saudade, revolta, não sei, só parece que não consigo sentir as coisas como antes. Olho a foto dele e nem raciocino que a Helena estaria do mesmo tamanho dele, mas ontem em uma festa que trabalhamos (motivo de minha ausência  passou uma menininha no colo do papai dela, de vestidinho rosa uma fitinha no cabelo e de chiquito rosa, tipo de uma havaianas com um elástico atrás, na hora eu e meu marido nos olhamos lembrando que eu dizia a ele que no próximo Dezembro a Helena iria estar de chiquito e de fraldinhas correndo atrás dos marrecos no sítio onde meus pais trabalham...hoje tudo se tornou somente um exercício de imaginar e tentar transformar em uma realidade que possamos ao menos em nossa cabeça ver...é por isso minha irmã que celebramos a morte, ela é tão presente aqui, e tão dolorosa, ainda bem que vive tão longe daqui, nossa tristeza te toca somente algumas vezes, mas a vida se mostra a você todos os dias quando abre o olho e vê seu meninão ao seu  lado, nunca permita  o pensamento que nossos pais ou irmão não amam ele o bastante, é que aqui a presença e a lembrança da morte é mais forte do que a força e a alegria da vida, mas um dia chegamos lá, um dia celebraremos a vida e não mais a morte, celebraremos somente o amor e a saudade que sentimos dela , mas por hoje ainda vivemos em parte lá, naqueles dias tristes, passamos o dia hoje a dizer um ao outro “não chora que vai deixar todos tristes” passamos o dia todo tentando segurar e nos manter... por isso não pensem que não amamos vocês...A você Ale, ao Lorenzo e ao Ale desejo do fundo do coração que você se mantenha ai, onde a vida e a felicidade ainda são plenas, beijos a todos vocês.
Vídeo de como o Lorenzo está lindo: http://www.facebook.com/photo.php?v=464734683591071



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...